Contigo.

quarta-feira, 12 de maio de 2010 às 13:07
As ondas vem e vão, como sempre. O céu está azul, sem nenhuma nuvem. A areia que toca o meu pé é fina, fria e quase branca. A brisa vem gentilmente até meu rosto que estampa um sorriso bobo de criança que acabou de ganhar um presente. E esse friozinho que me faz ficar mais encolhido é tão gostoso.

O dia tá bem calmo. Talvez eu tivesse muitas coisas para fazer, mas nesse exato momento eu não sou mais eu mesmo. Eu sou um pedacinho de nada, que foi esquecido no mundo. E assim quero continuar sendo, só por mais cinco minutos, por favor. Eu quero olhar para além do horizonte e poder imaginar uma ilha linda, que nunca foi descoberta e que está cheia de animais, frutos coloridos e mata verde. Um verde vibrante e vivo.

Uma mexida. Tento me acomodar novamente, os meus pensamentos já começam a se confundir com alguns sonhos. Tenho quase certeza que vejo pessoas caminhando na praia, passando a minha frente. Mas tenho quase certeza também, que aquele cachorro rosa não existe. Então, por um segundo eu desperto. Mas a vontade de ser um nada novamente é maior.

Eu fecho meus olhos e me encosto no seu ombro. O sono vem junto da sua mão que me faz carinho na cabeça e no pescoço. De repente, o resto do mundo não me importa mais. Só me importa o aqui e o agora. E toda essa paz que eu sinto por estar contigo. E tudo é tão bom que, quando adormecido, sonho que estou na mesma praia, no mesmo banco, dormindo encostado na mesma pessoa.

Eu sonho contigo. Eu durmo contigo.