Porque eu posso

sexta-feira, 29 de julho de 2011 às 18:22
Por que eu posso. Tenho essa frase tatuada em inglês, em meu braço. Claro que ela não está ali simplesmente por estar, eu não seria louco de fazer isso. Essa frase representa muito para mim. Primeiro, é o nome de uma música da qual eu sempre gostei muito. Segundo, é o que eu penso sobre a minha vida.

Eventuamente, quando alguém me pergunta o que significa essa frase e eu faço a tradução, as pessoas acham que eu sou prepotente e pedante. Mas não é isso. "Porque eu posso" não quer dizer que eu faço tudo por que posso tudo. O significado vai um pouco além disso...

Acredito piamente que a maioria das pessoas sempre tenta atribuir valor demais as causas externas e a outras pessoas e acaba esquecendo de dar o devido valor a si próprio. "Ah, fui demitido por que meu chefe era um idiota". "Fulado terminou o namoro comigo por que não me amava mais". É sempre muito fácil jogar a culpa nos outros.

Mas e nós? Somos seres pensantes, partes desse sistema complexo e finito que chamamos de mundo, onde cada um representa um personagem principal dentro da sua própria vida e vários coadjuvantes dentro da vida dos outros. E o personagem principal tem esse nome por ser, justamente... principal. 

Somos NÓS que comandamos nossas vidas, não os outros. Se perdemos o emprego, talvez seja por que não nos esforçamos o suficiente pela vaga. Se o namoro chegou ao final, foi por que AMBAS as partes não investiram na relação de maneira certa e suficiente.

Mas claro que não somos somente culpados por nossas atitudes. Somos também premiados por grandes situações favoráveis a nós. Uma nota alta na escola é mérito do que aprendemos e estudamos. Um novo emprego é mérito nosso. Somos nós nós nós...

Então, quando perguntam sobre minha tatuagem, digo que a frase é no sentido de eu posso por que eu tomo conta da minha vida e meu futuro está sempre em minhas mãos. Por que eu posso. Por que nós podemos.

E daí?

domingo, 3 de julho de 2011 às 18:58
E daí se eu te amo de uma maneira tão insuportavelmente grande que, pra não te sufocar, prefiro nem te dizer? 
E daí se eu gosto de te ver pegar no sono nos meus braços? 
E daí se eu gosto de acordar e sentir o teu cheiro cru e puro logo pela manhã? 
Edaí se meu dia fica melhor quando você me dá um sorriso? 
E daí se o teu beijo tem um gosto de tudo o que é melhor nesse mundo? 
E daí se a cor dos teus olhos são motivos para os meus pensamento fugirem do controle? 
E daí se a tua pele tocando na minha causa arrepios, cócegas e mais mil sensações que eu nem sei descrever?
E daí se você já sabe disso tudo sem que eu precisa te dizer, por que eu não consigo esconder nada de ti?
E daí se mesmo eu sendo adulto, perto de ti, sou uma criança novamente? 

Eu não me importo, você não se importa. 
E a gente é feliz assim. 
Então, e daí?